Outras representações de masculinidades brasileiras circulantes pelas culturas do consumo

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.18002/cg.v0i15.5979

Palabras clave:

representações de masculinidades, comunicação publicitária, práticas de consumo, imagem

Resumen

Este paper problematiza as representações de masculinidades ofertadas nas sociedades comunicacionais e nas culturas do consumo. Interessou-nos perceber como essas representações dialogam com realidades sociais e contextos culturais mais amplos, relacionados a disputas simbólicas, processos econômicos e imaginários sociais que negociam o lugar e as formas de masculinidades tidas como desejáveis e/ou aceitáveis pelas contemporâneas sociedades ocidentais. Quanto à fundamentação teórica, recorremos a tríade comunicação, representações de masculinidades e práticas de consumo. Neste percurso, desenvolvemos uma metodologia mais flexível, que tomava como centralidade a imagem no contexto sociocultural brasileiro, optando por analisar a comunicação publicitária brasileira de cuecas entre as décadas de 1960 e 2010.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Métricas alternativas

Biografía del autor/a

Danilo Postinguel, Escola Superior de Propaganda e Marketing - ESPM-SP

Doutorando e Mestre em Comunicação e Práticas de Consumo pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-SP); pesquisador do grupo JUVENÁLIA Culturas juvenis: comunicação, imagem, política e consumo (ESPM-CNPq); especialista em marketing pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), no curso MBA em Marketing e graduação em Administração pela Faculdade de Ciências Gerenciais de Dracena (CESD). Professor do FIAM-FAAM Centro Universitário no curso de Comunicação Social. Atuando com temas correlatos a Comunicação, trabalhando com questões ligadas à publicidade, representação midiática, gênero e consumo.

Citas

Badinter, Elisabeth (1993): XY: sobre a identidade masculina. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Butler, Judith (2014): “Regulações de gênero”. Em: Cadernos Pagu, Campinas-SP, nº. 42, pp. 249-274. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cpa/n42/0104-8333-cpa-42-00249.pdf [02/05/2020].

Connell, Robert W. (1995): “Políticas da masculinidade”. Em: Educação & Realidade, Porto Alegre, vol. 20, nº. 2, pp. 185-206.

Costa, Jurandir Freire (2004): O vestígio e a aura: corpo e consumismo na moral do espetáculo. Rio de Janeiro: Garamond.

Furtado, Juliana de Assis (2008): “Porque eu sou é homem: a representação do masculino na publicidade brasileira na década de 1970 e nos anos 2000”. Dissertação. Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo. Escola Superior de Propaganda e Marketing, São Paulo.

García Canclini, Néstor (2010): Consumidores e cidadãos: conflitos multiculturais da globalização. 8ª ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ.

Garcia, Wilton (2005): Corpo, mídia e representação: estudos contemporâneos. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

Hoff, Tânia (2008): “Notas sobre consumo e mercado no Brasil a partir das representações de corpo na publicidade”. Em: Maria Aparecida Baccega (org.): Comunicação e culturas do consumo. São Paulo: Atlas, pp. 166-185.

Joly, Martine (1996): Introdução à análise da imagem. Campinas, SP: Papirus.

Kellner, Douglas (2001): A cultura da mídia - estudos culturais: identidades e política entre o moderno e o pós-moderno. Bauru, SP: EDUSC.

Martín-Barbero, Jesús (1997): Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ.

Morin, Edgar (1997): Cultura de massas no século XX: neurose. 9ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Mundo das Marcas (2006): “Zorba”, 16 de julho. Disponível em: http://mundodasmarcas.blogspot.com.br/2006/07/zorba-todo-movimento.html [02/05/2020].

Nolasco, Sócrates (1993): O mito da masculinidade. Rio de Janeiro: Rocco.

Oliveira, Pedro Paulo de (2004): A construção social da masculinidade. Belo Horizonte: Editora UFMG; Rio de Janeiro: IUPERJ.

Postinguel, Danilo e Cretaz, Lívia (2014): “A representação da masculinidade nas campanhas publicitárias: ‘Espelho, espelho meu, o homem do comercial representa o eu?’”. Trabalho apresentado ao Grupo de Trabalho Propaganda e Tendências do V Encontro Nacional de Pesquisadores em Publicidade e Propaganda, Universidade de São Paulo.

Postinguel, Danilo (2015): “Homem homem, homem com H e homem-imagem: masculinidades midiáticas nas culturas do consumo”. Dissertação Mestrado em Comunicação e Práticas de Consumo. Escola Superior de Propaganda e Marketing, São Paulo.

Rocha, Everardo P. G. (1995): Magia e capitalismo: um estudo antropológico da publicidade. 3ª ed. São Paulo: Brasiliense.

Rocha, Rose de Melo (2005): “Imagens limiares: primeiras fundamentações para uma imagética do consumo”. Em: Cadernos de Pesquisa – ESPM, São Paulo, ano 1, nº. 4, pp. 11-63.

Rocha, Rose de Melo (2008): “Comunicação e consumo: por uma leitura política dos modos de consumir”. Em: Maria Aparecida Baccega (org.): Comunicação e culturas do consumo. São Paulo: Atlas, pp. 119-131.

Trindade, Eneus (2012): Propaganda, identidade e discurso: brasilidades midiáticas. Porto Alegre: Sulina.

Woodward, Kathryn (2000): “Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual”. Em: Tomaz Tadeu Silva, Stuart Hall e Kathryn Woodward (orgs.): Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, pp. 7-69.

Publicado

2020-06-25

Cómo citar

Postinguel, D. (2020). Outras representações de masculinidades brasileiras circulantes pelas culturas do consumo. Cuestiones de género: de la igualdad y la diferencia, (15), 363–379. https://doi.org/10.18002/cg.v0i15.5979